US Monastir supera Petro de Luanda e vence a BAL 2022

US Monastir supera Petro de Luanda e vence a BAL 2022

- EmBAL, Basquetebol, Destaque
0

A expectativa era grande, o Petro de Luanda vinha de uma época impressionante, vencendo todas as competições locais e tendo perdido apenas um jogo, contra o Zamalek do Egipto, na fase de grupos da BAL. O troféu da BAL 2022 era cobiçado também pelo Monastir, que tinha derrubado o campeão, Zamalek, e estava pronto para se redimir da derrota na final passada.

Créditos: BAL

A primeira parte deste encontro foi bastante competitiva, nenhum dos técnicos queria deixar a equipe adversária fugir no marcador, o Petro foi mais dominante mas, Michael Dixon estava imparável. Desde lançamentos de médio alcance, até aos lançamentos livres… a noite certeira de Dixon carregou o US Monastir para uma vantagem de 18-17 no final do primeiro quarto.

Os outros dois jogadores chave do Monastir, Majok e Slimane , ficaram bastante tempo de fora da partida, devido a problemas de falta. Enquanto esteve activo, Majok foi um problema constante para os postes angolanos, fazendo com que Jone Pedro fosse para o banco devido a problemas de faltas, assim como Aboubakar Gakou.

Firas Lahyani foi a “factor x” para o Monastir, o treinador Modrag Perisic apostou no extremo-poste Tunisino e ele não decepcionou. Lahyani terminou com 21 pontos e 10 ressaltos.

Destaque também para Souleyman Diabate, que saiu do banco para contribuir com 4 quatro pontos e muita intensidade defensiva, causando várias perdas de bola aos bases do Petro. Diabate tornou-se o primeiro jogador a ganhar dois títulos do BAL, após ter vencido o ano passado a taça com o Zamalek.

E como o Petro se comportou?

Depois da batalha no primeiro quarto, o segundo quarto foi bastante promissor para o Petro, os lançamentos de 3 pontos de Gerson Goncalves e Carlos Morais fizeram com que o Petro finalizasse a primeira parte na frente do marcador 40-33.

A pressão da defesa do Petro fez com que o US Monastir terminou com 0 em 8 nos lançamentos de 3 pontos, no primeiro tempo. O banco do Monastir não resistiu, foi suplantado por 17-2 antes do intervalo.

Apesar da vantagem de sete pontos no intervalo, a questão era se Petro seria capaz de manter a intensidade e lutar até ao apito final, uma vez que o Monastir mostrou que entrava sempre forte nas segundas metades das partidas (o Zamalek sofreu isso na pele).

O decorrer do jogo mostrou-nos um Petro que entrou em pânico no terceiro quarto, falhando inúmeros lançamentos livres, e perdeu a bola em momentos críticos. No final do terceiro quarto, o Petro ficou com apenas 2 pontos de vantagem (59-57), o Monastir começou a sentir-se confiante.

Majok voltou mais tarde no último quarto para marcar quatro pontos e fazer o Petro parecer indefeso dentro da área restritiva. Para piorar a situação do Petro, Dixon acertou 3 pontos que mudaram o rumo do jogo, o Monastir passou para uma vantagem de 60-59, a sua primeira vantagem na segunda metade do jogo, um momento que relançou Monastir no jogo.

Jone Pedro, que fez 32 anos no dia do jogo, teve um desempenho abaixo do esperado, contribuindo apenas com 2 pontos antes de falhar aos 8:09 minutos restantes por excesso de faltas. O seu substituto, Yanick Moreira também jogou no limite de faltas, e foi desqualificado com 1:08 minutos para o fim (terminando a partida com 8 perda de bola).

O US Monastir assumiu totalmente o controlo do jogo após uma falta antidesportiva de Carlos Morais que lhes permitiu esticar a sua vantagem para 72-67, com menos de três minutos para jogar. O golpe final veio depois de Slimane ter conseguido um ressalto ofensivo, marcando 2 pontos e dando assim uma vantagem de 78-72 faltando 30 segundos para o final. O treinador José Neto solicitou um desconto de tempo, após desconto, Lahyani roubou a bola a Gakou antes de selar a vitória por 83-72.

Gerson Gonçalves liderou a Petro com 28 pontos, Moreira somou 18 pontos e Morais contribuiu com 12 pontos. Nenhum outro jogador Petro chegou aos dois dígitos.

Destaques da partida

Michael Dixon teve uma eficácia acima da média, tendo acertado 7 de 10 lançamentos, liderando a sua equipe com 21 pontos. O base de 31 anos de idade deu 6 assistências, e, no processo, o US Monastir conquistou o seu primeiro troféu continental de sempre. Dixon foi eleito o jogador mais valioso do BAL de 2022. A equipe do US Monastir completou os trófeus da época, depois de ganhar a Liga Tunisina e a Taça da Tunísia.

O Petro de Luanda perdeu a bola 28 vezes (sim, 28), mais 10 do que o Monastir, que aproveitou para vencer por 11 pontos. A nível de lançamentos livres a equipe angolana esteve ainda pior, convertendo apenas 57% dos 28 lançamentos livres tentados, o que se provou fatal no final da partida.

Parabéns ao US Monastir, que consegue assim este cobiçado título

Comentários do Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.