Futebol: Selecções africanas despedem-se do Campeonato do Mundo Sub-17

Futebol: Selecções africanas despedem-se do Campeonato do Mundo Sub-17

- EmCampeonato do Mundo, Destaque, Futebol
0

Joga-se hoje no Brasil os quartos-de-final do Campeonato do Mundo Sub-17 de futebol, competição que teve início no dia 26 de Outubro e terminará no dia 17 de Novembro. 4 equipas africanas qualificaram-se para esta grande competição, Camarões (campeã africana), Angola, Nigéria e Senegal mas nenhuma delas conseguiu chegar à esta fase.

Angola chegou a este torneio como outsider, primeira vez a participar nesta competição e inserida no mesmo grupo que o anfitrião e um dos principais candidatos ao título, assim como com o campeão da Oceania. Os pupilos de Pedro Gonçalves surpreenderam o mundo ao vencerem a Nova Zelândia e o Canadá, cada um deles por 2-1, e encantaram com o “Pintin” no final dos jogos. Na entrada da terceira e última jornada, os Palanquinhas já tinham garantido a sua presença na fase seguinte mas precisavam definir a liderança do grupo com o Brasil. Angola perdeu o jogo por 2-0 e terminou a fase de grupos na segunda posição, encontrando assim a Coreia do Sul nos oitavos-de-final, onde acabou por ser eliminada ao perder por 1-0. Com 2 golos e 1 assistência, Zini foi o destaque dos Palanquinhas neste torneio.

Apesar de terem chegado ao Mundial como os campeões de África, a selecção dos Camarões não impressionou durante o seu percurso no CAN. Os últimos 3 jogos terminaram 0-0 durante os 90 minutos e foi preciso ir aos penaltis para garantir o título africano. No entanto, os Leões Indomáveis perceberam desde cedo que a sua ineficácia em frente a baliza iria custar-lhes muito caro, os pupilos de Thomas Libiih foram surpreendidos pelo Tajiquistão logo na primeira jornada com uma derrota de 1-0. À seguir seguia-se a Argentina, campeã da América do Sul que venceu por 3-1 e depois a sempre poderosa La Rojita (Espanha) que também venceu, desta vez por 2-0. Os Camarões foram a primeira equipa africana a voltar para casa e a única que não passou de fase, com 3 derrotas e apenas 1 golo marcado. François Bere foi o marcador do único golo da selecção camaronesa.

A Nigéria é a seleção mais bem-sucedida da história do Mundial Sub-17, foi cinco vezes campeã (em 1985, 1993, 2007, 2013 e 2015) e perdeu na final em três outras ocasiões (em 1987, 2001 e 2009). Além disso, o país detém o recorde pelo maior número de golos marcados em uma única competição (26 em 2013). Apesar da derrota por 2-1 diante da Austrália, na última jornada, terminaram a fase de grupos no topo do Grupo B, graças às vitórias sobre a Hungria por 4-2 e o Equador por 3-2. Nos oitavos-de-final a selecção nigeriana defrontou a Holanda, 3ª classificada do Grupo D com apenas uma vitória em todo o torneio e era a favorita para este duelo mas foram surpreendidos com uma derrota de 3-1 e um hat-trick de Sontje Hansen. As Águias Douradas tiveram como destaque Ibrahim Said, com 3 golos e 1 assistência.

Apesar de ser um peso pesado do futebol africano, esta foi a primeira participação do Senegal no Campeonato do Mundo Sub-17. As vitórias de 4-1 sobre os Estados Unidos e 3-1 contra a Holanda, foram suficientes para garantir o segundo lugar no Grupo D e, consequentemente, uma vaga nos oitavos-de-final do torneio. Uma vez na fase das eliminatórias, a Espanha era o adversário que se seguia mas os senegaleses não conseguiram passar pela La Rojita, perdendo por 2-1. Pape Sarr foi o destaque do Senegal, com 3 golos marcados e 2 assistências feitas.

Com as selecções africanas de fora, juntamente com outras 5, os quartos-de-final do Campeonato do Mundo ficou da seguinte forma:

Holanda e Paraguai farão hoje às 19h30 o primeiro jogo dos quartos-de-final, no estádio Kléber Andrade, logo em seguida será a vez da Coreia do Sul e México. Amanhã, às mesmas horas, será a vez de Espanha e França medirem forças, seguido da Itália e Brasil.

O próximo Campeonato do Mundo Sub-17 será em 2021, no Perú, cuja última participação foi em 2007.

Comentários do Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.