Petro de Luanda cai sem beira nem eira

Petro de Luanda cai sem beira nem eira

- EmCAF, Destaque
0
@Nanizaiawo Morgan

A equipa principal de futebol do Petro de Luanda foi eliminada na sexta-feira, 16 de Março, do apuramento para a fase de grupos da 15ª edição da taça CAF, vulgo Nelson Mandela, ao perder por 2-1, no Lucas Moripe Stadium, em Pretória, diante do SuperSport United da África do Sul.

 

Como as equipas alinharam?

SuperSport: Williams, Kekana, Daniels, Gould, Bhasera, Furman, Letsholonyane, Webber, Modiba, Mnyamane, Smith.
Banco: Pieterse, Boateng, Mokoena, Mbule, Egwuekwe, Nhlapo, Le Roux.

Petro: Gerson, Diney, Azulao, Mira, Ari, Elio, Herenilson, Job, Manguxi, Carlinhos, Wilson.
Banco: Lama, Maludi, Dennis, Nandinho, Tony, Tresor, Pedro.

 

Como foi o jogo?

Depois de ter empatado a zero, no jogo da primeira mão no Estádio 11 de Novembro, em Luanda, e com a eliminatória aberta, bastando aos tri-colores um empate com golos na casa do adversário, esperava-se para a segunda mão, um Petro que fosse assumir o jogo e bater-se de igual para igual com o adversário, mais aguerrido no meio campo e mais ofensivo. Mera ilusão, pois, viu-se exactamente o contrário durante os 90 minutos de jogo. Sem estratégia, a equipa de Bianchi abdicou da posse de bola e entregou total iniciativa aos sul africanos, que nunca perderam o objectivo e procuraram sempre o golo.

Com o empate a zero ao intervalo que mantia as esperanças dos angolanos, a história não mudou e a segunda parte começou como a primeira, com a equipa da casa a mandar no jogo. Mesmo com um meio campo apático na criação do jogo, foi na sequência de uma bola parada que os angolanos se adiantaram no marcador, aos 50 minutos, numa jogada de insistência de Élio depois de um livre bem marcado por Carlinhos, que, praticamente, colocou a bola na boca do golo.

A vencer por 1-0, o técnico Hispano-brasileiro do Catetão tira Job, seu único jogador com capacidade de segurar a bola no ataque e mete Tresor, aos 61 minutos, um jogador mais defensivo e troca Tiago Azulão por Dennis Sesugh. Nos minutos que se seguiram, o SuperSport aumentou a sua pressão no meio campo e ataque e não empatou por pouco, valeu a intervenção do guarda-redes Gelson por inúmeras vezes.

Com um Petro desorientado e que já demonstrava fraqueza na defesa, o Supersport chegou ao empate aos 79 minutos por Mnyamany, o mesmo que bisou 3 minutos depois, aos 82′, colocando a sua equipa a frente do marcador depois de um cabeceamento sem oposição.

Ao final dos 90 minutos (180 no agregado), o Petro é eliminado nos 16 avos-de-final da competição, de forma justa e frustrante. Justa porque o adversário foi superior e marcou dois golos e frustrante porque Job e companheiros nunca mostraram em campo vontade nem futebol para vencer.

 

Os Números do jogo

Num ano há muito apregoado pela Direcção e equipa técnica como o de partida em busca da glória africana, o Petro cai sem beira nem eira, diante de um adversário perfeitamente ao seu alcance, e, ao contrário dos outros anos, a falta de jogos nas pernas não será desculpa. Ainda assim, e apesar das evidências, Beto Bianchi, treinador da equipa do Catetão, disse que a sua equipa jogou bem e só falhou por ter permitido um golo de bola parada.

Comentários do Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *