Coronavírus está a criar o caos no desporto

Coronavírus está a criar o caos no desporto

- EmDestaque
0

O Covid-19, uma mutação do Coronavírus, teve início na cidade de Wuhan (China) e tem vindo a espalhar-se um pouco por todo o mundo. Já foram confirmados casos em mais de 80 países à volta do globo.

A Organização Mundial da Saúde declarou em 30 de janeiro que os casos do novo coronavírus são uma emergência de saúde pública de interesse internacional, não pelo que ocorre na China, mas pelos registros em outros países. Com isso, uma acção coordenada de combate à doença deverá ser traçada entre diferentes autoridades e governos.

Uma das formas de prevenir o contágio é evitar multidões, o que tem feito com que algumas organizações cancelem, adiem ou coloquem a realização dos eventos em dúvida.

Mapa interactivo da Universidade Johns Hopkins que permite acompanhar a evolução do coronavírus no mundo

Há três meses do arranque do Euro 2020, ainda existem muitas dúvidas quanto a sua realização. A realização de um evento que envolve 12 cidades em 12 países diferentes aumentaria muito a circulação de pessoas e, consequentemente, a possibilidade de propagação do vírus, indo contra os esforços dos governos. Uma das 12 cidades que irá albergar a competição é Roma, situada na Itália, um dos países mais afectados pelo vírus.

O cancelamento do torneio é uma hipótese, mas a UEFA continua a ter a certeza de que ele irá decorrer como planeado. O secretário geral da organização, Theodore Theodoridis afirmou que eles não querem se precipitar com um cenário que pode mudar em alguns meses e que o assunto está a ser tratado juntamente com a Organização Mundial da Saúde (OMS).

O mesmo cenário se verifica em relação aos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Os atletas têm sido encorajados a treinar normalmente, com a organização a insistir que os Jogos vão prosseguir conforme planeado, apesar da actual dimensão do surto.

À seguir a China, a Itália é o país mais afectado com o Covid-19, cerca de 9.172 casos confirmados e 463 mortes até ao momento. O futebol italiano viu uma série de jogos serem adiados, enquanto outros foram realizados à portas fechadas. Depois de uma dúzia de cidades no norte da Itália terem sido efectivamente isoladas após a morte de duas pessoas infectadas com o coronavírus, no dia 23 de Fevereiro, jogos da Série A realizados nas regiões da Lombardia e do Veneto, no norte da Itália, foram adiados. Vários jogos da Série B e da Série D, além de uma série de jogos amadores e juvenis, também foram cancelados.

Foto: Jogo entre Juventus e Inter de Milão jogado à portas fechadas. Foto: Social News XYZ

No dia 8 de março, uma série de jogos foram disputados à portas fechadas, segundo orientação do governo italiano mas o campeonato acabou mesmo por ser suspenso até o dia 3 de abril, por precaução.

Na Inglaterra os apertos de mão antes dos jogos foram proibidos e os clubes foram aconselhados a fazerem planos de contingência para o caso de se realizarem jogos à porta fechada. Há um sentimento crescente entre os clubes da primeira divisão de que os jogos acabarão sendo disputados sem adeptos, já que a doença continua a se espalhar.

Nos estados Unidos, a NBA está a considerar realizar jogos à porta fechada, mas apenas como um plano de contingência de último recurso. Na passada sexta-feira, um memorando foi enviado às equipas dizendo-lhes para se prepararem para a possibilidade de realizar jogos sem adeptos e para identificarem o pessoal essencial que precisaria estar presente em tais jogos. A NBA também lembrou às equipas que qualquer decisão de adiar ou cancelar jogos precisa vir do escritório da liga.

Lebron James, uma das principais referências da liga reagiu a esta possibilidade: “Eu não vou jogar se não houver espectadores na bancada. É para isso que eu jogo. Jogo pelos meus companheiros de equipa, jogo pelos fãs. É disso que se trata. Então, se eu aparecer na arena e não houver fãs lá dentro? Eu não vou jogar. Então, eles podem fazer o que quiserem.”

No dia 5 de Março, a Federação de Jiu-Jitsu dos Emirados Árabes Unidos (UAEJJF), anunciou que suspendeu o seu calendário actual de eventos e actividades desportivas até novo aviso. Isto quer dizer que o Campeonato do Mundo de Jiu-Jitsu da UAEJJF, originalmente marcado para 11 até 18 de Abril, não será realizado. A organização está a proceder ao reembolso de todos os atletas inscritos para o evento.

Vista aérea do circuito de Bahrein Bryn Williams/AP/VEJA

Na Fórmula 1 o cenário não é diferente, o GP da China, inicialmente programado para o fim-de-semana de 17-19 de abril, foi adiado e ainda não tem nova data para a sua realização. A expectativa é que a prova de Xangai seja remarcada para próximo do fim da temporada. Entretanto, pela primeira vez na história a Fórmula 1 teremos uma corrida sem público. Neste domingo (8), foi anunciado que o Grande Prémio do Bahrein, que será realizado entre os dias 20 e 22 de março, vai ter portões fechados para o público, em função do surto de coronavírus.

Muitos outros eventos têm sido afectados pelo Covid-19, resta saber como isto irá terminar.

Comentários do Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.