Presidente da FAB pede demissão

Presidente da FAB pede demissão

O presidente da Federação Angolana de Basquetebol (FAB), Hélder “Maneda” Cruz, está para renunciar o cargo dessa instituição desportiva.

Maneda alegou que o motivo desta decisão deve-se às difíceis condições de trabalho por culpa das dificuldades financeiras que assola este organismo, bem como as críticas que tem recebido e comentários “infundados” à sua pessoa.

O actual Presidente da FAB, organismo que regula a modalidade de basquetebol no país, reclama por falta de reconhecimento que tudo o que o seu “executivo” tem feito em prol da modalidade, defendendo que várias vezes recorreu aos valores monetários da sua família para acudir problemas do órgão. Hélder Cruz foi eleito para ser Presidente da FAB de 2016 até 2020, em substituição de Paulo Madeira.

Sobre o pedido de demissão de Maneda, Agostinho Matamba, Presidente da Mesa da Assembleia disse que ainda não recebeu este pedido formalmente e que o mesmo deve ser feito por via de uma carta. Matamba ainda adiantou que vai esperar por uma comunicação oficial de Maneda, para que só assim os associados da FAB possam tomar uma decisão definitiva.

“A renúncia é um acto voluntário, a ser da iniciativa do mesmo, deve oficializar e esperar pelo pronunciamento dos filiados”, frisou Agostinho Matamba.

 

Relatórios de Contas só em 11 de Maio.

Em entrevista aos jornalistas, Matamba disse que no encontro que teve com os associados, ficou decidido que a FAB só apresentará o relatório de contas no dia 11 de Maio. O dirigente acrescentou que essa decisão deve-se a questões técnicas que impossibilitaram a conclusão e entrega do documento, para ser discutido e aprovado na reunião dos associados, que aconteceu ontem na Galeria dos Desportos, no Complexo da Cidadela.

“Por razões técnicas, a direcção da FAB não foi possível apresentar o relatório e contas. Também decorre um processo de inspecção por parte dos órgãos do Estado, que condicionou a sua conclusão nos prazos antes estabelecidos. Por isso, os associados acharam conveniente transferi-lo para a assembleia extraordinária de Maio”.

Apesar de nesse encontro não contar a presença da Associação Provincial bem como seis clubes de Luanda (InterClube, ASA, Marinha, Progresso do Sambizanga, Banca e Ferrovia), Matamba alegou que essa reunião foi positiva e decorreu de forma positiva e foram abordadas várias questões que têm afectado a modalidade, como o regulamento das transferências de jogadores.

Nesta reunião estiveram presentes as associações e clubes de várias províncias, como Huíla, Namibe, Huambo, Bíe, Benguela e Cuanza Sul, e teve como pontos a aprovação da agenda de trabalho e regimento da assembleia, ponto de situação sobre o relatório e contas dos exercícios 2017 e 2018, apresentação do pedido de renúncia do presidente de direção da FAB, marcação de nova data para apresentação do relatório e contas e diversos.

Comentários do Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *