Pró Desporto

O novo formato do jogo das estrelas da NBA aumentará o interesse dos fãs?

Durante a semana, a NBA anunciou oficialmente que alterações de vulto seriam feitas ao jogo das estrelas.

Jogo das Estrelas

A notícia não foi tão surpreendente, uma vez que Adam Silver (o comissário da NBA) tinha mostrado que não estava satisfeito com os resultados (a nível de emoção e satisfação do público), dos últimos jogos das estrelas da NBA.

Cogitou-se então a possibilidade de alterar as regras do jogo, como, por exemplo, atribuir 4 pontos à lançamentos feitos do meio da quadra. Mas, pelos vistos, isso ainda é só uma ideia de Adam Silver.

O que é realidade mesmo é que deixaremos de ter a rivalidade Este Vs Oeste. Os capitães de cada equipe escolherão jogadores da sua preferência e teremos assim equipes mistas.

Se estivermos lembrados, em 2015 o jogo dos novatos da NBA sofreu uma alteração semelhante, pondo frente à frente os jogadores Norte Americanos contra os jogadores do resto do mundo, sendo que antes dessa data os jogos eram entre os Rookies (1º ano na NBA) e os Sophomores (2º ano na NBA).

Mas será que isso é suficiente para salvar o “All Star Game”?

Em 2017 cerca de 7.8 milhões de pessoas assistiram ao jogo das estrelas, a melhor marca desde 2013. Mas o que muitos fãs reclamam é da competitividade. Os jogadores concentram-se, geralmente, no último quarto, em que todos olham para o marcador e dão conta que podem levar o trófeu de MVP para casa.

Um factor que tem sido apontado para a fraca audiência do jogo das estrelas, é o desequilíbrio entre as conferências (Este e Oeste), não há como negar! O Oeste tem agora mais super-estrelas, nem precisamos de citar. É neste factor que muitas pessoas se baseiam para justificar a mudança de formato do jogo das estrelas, sem conferências definidas, a competitividade poderá aumentar.

O próximo jogo das estrelas acontecerá em Los Angeles, em Fevereiro de 2018. Os fãs, jornalistas e jogadores decidirão quais serão os titulares do jogo, enquanto os treinadores escolhem os jogadores reserva.

Decerto que os fãs da NBA estarão curiosos para ver quem jogará ao lado de quem.  E quanto a si, acha que este modelo veio melhorar… ou nem por isso?!

1 Comentário

  1. Emílio Calandula

    6 Outubro, 2017 at 5:38 pm

    Sabe, foi muito bom saber que os jogadores terão menos possibilidades de fazer corpo mole durante um jogo do All Star.

    A coisa sobre a escolha do MVP precisa ser bem definida. Minha opinião, se o vencedor fosse escolhido pelas melhores médias de cada quarto do jogo da estrelas, ninguém esperaria o último quarto para alcançar o ponto mais alto.

    Agora, poderiam muito bem começar a estudar mudanças nas disputas de playoffs, um cruzamento entre conferências resultante de um sorteio ou pelos resultados no final da tabela final da regular season seriam bom, é muito chato saber quem vai jogar as finais de cada conferências.

    Seria bom também se fossem para os jogos da “NBA The Finals” as melhores formações, não a treta da melhor de cada conferência (Tem sempre uma equipa aparentemente fraca). Deviam inventar uma fórmula de misturar as equipas e experimentar ela em uma ou duas temporadas.

    Belo artigo. Só faltou citar as estrelas do Oeste. Tem gente que não sabe distinguir quem são a não pessoas as mais ligadas à NBA.

    Abraço.

Deixe Um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *