Pró Desporto

#FPL: Pró Desporto Team – GameWeek 1

A dor de cabeça chegou finalmente ao fim e a nossa equipa está decidida e pronta para tomar de assalto a liderança das ligas em que estamos inscritos. Verdade seja dita, estamos felizes com a dificuldade que tivemos para montar a nossa equipa nesta época, isto significa que há um leque maior de opções, não foi fácil tentar encaixar todos ainda mais com os preços com que foram rotulados. Assim sendo, tivemos que seleccionar cuidadosamente cada jogador para a jornada inaugural da liga e trazemos aqui cada justificação das escolhas que fizemos.

 

GUARDA-REDES

De Gea | Elliot

Optamos por um guarda-redes permantente (De Gea) e um reserva que ficará no banco a época toda, se não se registarem lesões (Elliot)

David De Gea é a melhor opção disponível se olharmos para os guarda-redes mais caros da Fantasy. O keeper do Manchester United está avaliado em 5.5m e tem sido uma parede nas últimas épocas. Na época passada, De Gea teve 11 clean sheets (jogos sem sofrer golos) na segunda volta do campeonato e sofreu apenas 11 golos. Olhando para o registo defensivo do Man Utd na segunda metade do ano e com Mourinho a montar o plantel a seu gosto, nada os impede de superar a marca de clean sheets registada no ano passado.

Rob Elliot é um guarda-redes avaliado em 4.0m e é actualmente a melhor opção do Newcastle na baliza. Esta é uma posição que preocupa Rafa Benítez e é bem provável que chegue um guarda-redes até o fecho do mercado, até lá, Elliot deve ser o dono da baliza.

 

DEFESAS

Naughton | Mee | Stephens | Suttner | Smalling

Kyle Naughton (4.5m) terminou a época em grande, sendo uma peça influente na permanência da sua equipa na primeira divisão. O lateral do Swansea teve uma média de 5,22 pontos por jogo nas últimas 10 jornadas do campeonato, fruto de 5 clean sheets neste mesmo período. O Swansea tem um calendário inicial favorável o que poderá render alguns pontos na Fantasy aos seus jogadores. Só para terem ideia, jogarão contra os 3 clubes promovidos nas primeiras 8 jornadas.

Bravo e viril na defesa, Ben Mee, continua a ser uma boa escolha, uma vez que está cotado em apenas 4.5m. O central do Burnley registou 10 clean sheets no ano passado, no regresso da sua equipa à Premier League. Jack Stephens do Southampton é o substituto natural de Virgil Van Dijk e interessa-nos ter um defesa dos Saints devido ao seu calendário. Com 3 dos 4 primeiros jogos em casa, Mauricio Pellegrino terá a oportunidade de mostrar porque é que tem a reputação de um treinador defensivo.

Dos clubes promovidos, o Brighton chegou à Premier League com um registo defensive muito forte. Não obstante, o clube reforçou-se com o austríaco Markus Suttner (4.5m), ex-jogador do FC Ingolstadt 04 (Bundesliga) que balançou as redes por quatro vezes, todas elas de livre directo. Durante a pré-época, Chris Hughton testou o lateral algumas vezes no meio-campo, o que pode ser uma mais valia.

A defesa do Manchester United teve um total de 17 clean sheets na época 2016/17 e parece ser merecedora de um lugar na nossa equipa. Com Marcos Rojo lesionado, uma das opções (baratas) seria o recém-contratado Victor Lindelof mas parece que o sueco irá precisar de algum tempo para se adaptar ao estilo de jogo inglês. Assim sendo, a nossa escolha recai sobre Chris Smalling (5.5m) que ao que tudo indica, deverá formar a dupla de central com Eric Bailly.

MEIO CAMPO

Fàbregas | De Bruyne | Mané | Alli | Carroll

Cesc Fàbregas parece estar a ganhar a confiança de Antonio Conte depois de 5 golos e 15 assistências em apenas 1340 minutos na última época. Com a lesão de Bakayoko e a venda de Matic para o Manchester United, o espanhol parece ser a opção óbvia para preencher a vaga no meio-campo dos blues.

De todos os médios do Manchester City, Kevin De Bruyne parece-nos ser a opção mais segura e foi um dos médios mais produtivos da época passada (199 pontos). Ao preço de 10.0m, o playmaker belga foi o jogador com mais assistências na Premier League 2016/17 (17 assistências)  e juntamente com Ederson e Kompany é praticamente o único com lugar garantido no 11.

O trio do meio campo do Liverpool formado por Sadio Mane (9.5m), Mohamed Salah (9.0m) and Philippe Coutinho (9.0m), parece ter tudo o que se precisa para aterrorizar as defesas adversárias. Velocidade, dinamismo, energia, criatividade, a lista é longa, mas qual dos três é a opção mais viável? Olhando para o ano passado, Mané e Coutinho estiveram praticamente o mesmo tempo em campo (2.040 e 2.043 minutos, respectivamente), marcaram o mesmo número de golos (13) e o senegalês teve apenas uma assistência a menos que brasileiro (7 e 8, respectivamente), o que torna ainda mais complicado escolher um deles. Mesmo que Coutinho saia para o Barcelona, fica fácil trocar para outro jogador do Liverpool. Por outro lado, temos Mohamed Salah, o reforço de Jurgen Klopp proveniente do Roma, onde marcou 15 golos e 13 assistências em 31 jogos da Seria A. O egípcio aparenta ter o mesmo estilo de jogo que o Mané e deixou muito bons indicativos nos jogos de pré-época. A solução que usamos para resolver esta dúvida, foi a de escolhermos o mais caro dos três, no caso Sadio Mané, com o passar do tempo fica fácil trocarmos para qualquer uma das outras duas opções, se necessário, uma vez que são mais baratos.

É quase que obrigatório ter alguém do meio campo dos Spurs, as opções disponíveis eram entre Alli e Eriksen, mas a nossa preferência recai sobre o jovem inglês. Dele Alli marcou 18 golos e fez 11 assistências na época passada e deixou aquele feeling de que ainda não atingiu o seu potencial, tem o talento para ser um Frank Lampard no seu auge, um médio capaz de marcar 20 golos ou mais por época.

Para equilibrar a nossa equipa procuramos no mercado por um quinto jogador barato. Este jogador por norma será banco na nossa equipa, mas tem de ser pelo menos titular na sua equipa para o caso de uma possível lesão ou suspensão dos titulares. Para esta vaga, escolhemos o médio do Swansea, Tom Carroll (4.5m). Com a eminente saída de Gylfi Sigurdsson, Carroll passou a ser o responsável pelas bolas paradas da equipa.

 

AVANÇADOS

Rooney | Jesus | Mounie

Optamos por não ir pelo óbvio, deixamos Kane e Lukaku de fora por agora e olhamos para outras opções disponíveis.

Wayne Rooney está de regresso a Goodison Park para ocupar a vaga deixada por Romelu Lukaku, que fez o caminho inverso. Avaliado em 7.5m, Wazza será o avançado principal de Ronald Koeman, será responsável pelas bolas paradas (livres e penaltis) e a vontade de representar o seu país no mundial de 2018 será um incentivo.

Gabriel Jesus foi a nossa segunda escolha para a posição de ataque da nossa equipa. Mesmo tendo jogado pouco na época passada devido às lesões, o “menino Jesus” teve uma impressionante média de golos por jogo, marcava a cada 92 minutos, perdendo apenas para Harry Kane. Esta época, espera-se que jogue regularmente e a expectativa em torno de uma possível dupla de ataque com Sergio Aguero é enorme. Existe a possibilidade de começar no banco, mas certamente será sempre uma opção na segunda parte do jogo e dada a relação íntima que já mostrou ter com a baliza adversária, vale a aposta.

Mais uma vez, optamos por um jogador barato para preencher a terceira vaga no nosso ataque. É importante olhar para as equipas recém-promovidas à Premier League, trazem sempre algum valor acrescentado. A nossa escolha recaiu sobre Steve Mounie (6.0m), avançado do Huddersfield contratado ao Montpellier neste verão. Mounie é uma autêntica torre, mede 1.92m e é bom no jogo aéreo, marcou 15 golos e 3 assistências em 38 jogos e parece adaptar-se ao estilo de jogo do Huddersfield.

 

11 INICIAL

1 Comentário

  1. Júnior Silva

    11 Agosto, 2017 at 10:25 am

    Sendo a primeira vez que participam, o Team está razoável, atendendo a falta de experiência na estratégia de alta competição.
    Boa sorte à equipa e muitas setas verdes!

Deixe Um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *