Terceira edição da Supremus Fight League proporciona espectáculo emocionante na Arena Vida TV

Terceira edição da Supremus Fight League proporciona espectáculo emocionante na Arena Vida TV

- EmMMA
0

No último domingo, 1 de Março, realizou-se a terceira edição do Supremus Fight League nos Estúdios da Vida TV, em Luanda, com um card de lutas muito apelativo.

Das 9 lutas programadas, apenas 8 foram realizadas devido a desistência de um dos atletas por lesão. Divaldo vs Shaka Zulu foi a luta principal da noite e uma das mais esperadas, Osvaldo Créu contra o congolês Christivie Mputu era outra luta de grande expectativa.

Às 18h30, Walter Lobão subiu ao octógono para a abertura do evento, chamando em seguida o Presidente da Liga, Sr. Vladimir Ndala para dar as boas vindas aos presentes. O apresentador Armindo Paim assumiu então as rédeas do evento e deu logo início aos combates.

Na primeira luta da noite, Jéssica e Jenny protagonizaram aquela que foi a primeira luta feminina de MMA em solo angolano. Apesar do espectáculo proporcionado, ambas as atletas demonstraram algumas lacunas técnicas que com certeza serão corrigidas, fica no entanto registado o primeiro passo dado na proliferação de mais lutas femininas. Passados 3 rounds a luta foi decidida pelos árbitros e acabou empatada.

Ginaldo Branco e Malolokua Pedro entraram à seguir, dois atletas provenientes do norte de Angola batalhavam pela coroa de Rei do Norte. Malolokua, vindo directamente da província do Uíge para este evento, tinha a lição bem estudada e dominou por completo a batalha, sem dar hipóteses ao seu adversário. No final dos 3 rounds os árbitros decidiram por unanimidade que a coroa ficaria com Malolokua Pedro.

Maurio Pascoal e Vanilson Valentim (Rei Malha) já se conhecem de outros carnavais, ambos já se enfrentaram anteriormente em um campeonato de Jiu-Jitsu e na altura a vitória sorriu para Vanilson. Tendo em conta o historial dos atletas, a expectativa era grande para esta luta, no entanto, o resultado não foi diferente do anterior. Rei Malha voltou a vencer e desta vez por finalização, ao aplicar um mata-leão logo no primeiro round.

Vanilson Valentim (Rei Malha), atleta da Matilha BJJ. Foto: António Penelas

Na quarta batalha da noite, Adalberto fazia a sua estreia no MMA e enfrentou o já conhecido Inocêncio que deixou muito boa impressão na primeira edição da liga. A vitória sorriu para o estreante Adalberto que soube fazer bom proveito do seu kickboxing e levar a melhor sobre o seu adversário.

Ivandro e Edgar entraram logo de seguida para a quinta luta da noite. Ivandro provém do Kickboxing e fez a sua estreia no MMA enquanto que Edgar tem como base o Jiu-Jitsu Brasileiro e pretendia usar isto a seu favor. Ivandro quase surpreendeu o seu adversário ao implementar no seu jogo alguns ataques de grappling, chegando mesmo a encaixar uma guilhotina, mas experiente como é, Edgar conseguiu sair e contra-atacou. E como “quem não marca, sofre”, Edgar usou a mesma finalização contra o seu oponente e mostrou à ele como deve ser feito, terminando assim a luta com a vitória a sorrir pra si.

Numa das lutas mais aguardadas do card preliminar, Ismael Kimura e Luan Shaka lutaram até o último segundo deixando a decisão nas mãos dos árbitros. Uma luta super equilibrada entre dois strikers que foi decidida nos detalhes, Ismael Kimura sofreu uma penalização por pontapear o rosto do seu adversário enquanto tinha os 4 apoios no chão, o que pesou na decisão dos árbitros no final. Luan Shaka foi declarado vencedor.

Aquela que era uma das lutas de maior destaque deste evento, o co-main event, colocou de um lado Christivie Mputu, proveniente da República Democrática do Congo e do outro lado o angolano Osvaldo Benedito “Créu” da Angolan Top Team, para a primeira luta internacional da Supremus Fight League. Mputu foi duas vezes campeão nacional de Karaté no seu país e foi apelidado de Van Damme, mas em território desconhecido precisava provar que era um adversário à altura. Já Créu, considerado por muitos o melhor atleta da sua categoria e um faixa roxa experiente de Jiu-Jitsu Brasileiro, tinha o factor casa do seu lado mas precisava mostrar isso dentro do octógono. A luta foi bastante equilibrada nos dois primeiros rounds, mas o terceiro foi totalmente dominado pelo angolano do princípio ao fim, com Créu a desferir vários golpes para o rosto do seu adversário. Vitória para Angola e para Osvaldo Créu, que carregava nas costas a responsabilidade de representar uma nação inteira.

Veja aqui a luta completa:

Na última luta da noite, Divaldo “Ghost” Vicente tinha pela frente Pedro Calembela, também conhecido como Shaka Zulu. Durante os eventos de promoção, Divaldo jogou com o psicológico do seu oponente que deixou-se levar facilmente, chegou então a altura de mostrar dentro do octógono as promessas que foram feitas durante este período. Na verdade não há muita história a contar, Divaldo dominou os três rounds do princípio ao fim, foi um autêntico massacre! Shaka Zulu quase não teve tempo para atacar, uma vez que a sua maior preocupação era defender os golpes do seu oponente. A decisão era óbvia, vitória para o Ghost que rapidamente tornou-se numa das referências da liga.

O evento será transmitido na íntegra em diferido na Vida TV, canal 505 da DSTV, no dia 4 de março às 21 horas em Angola e 22h em Moçambique.

A quarta edição da Supremus Fight League está agendada para o dia 26 de abril e terá como prato principal a luta entre Trovoada e Elísio (parte 2).

Comentários do Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.