Covid-19 é a mais nova dor de cabeça na data FIFA

Covid-19 é a mais nova dor de cabeça na data FIFA

- EmFutebol
0
@Erickson Neto

Para muitos treinadores de futebol a data FIFA não é vista com muito bons olhos, e ainda mais numa altura destas, além do grande risco dos seus jogadores contraírem graves lesões, agora há o risco de ficarem indisponíveis por conta da COVID-19, e foi o caso de alguns nesta data FIFA.

Treinadores como Jorge Jesus do SL Benfica, Diego Simeone do Atlético, Pep Guardiola do Manchester City e Jurgen Klopp do Liverpool, são uns dos que manifestaram as suas insatisfações recentemente. Os treinadores não puderam contar com os serviços de alguns dos seus jogadores para os jogos deste fim-de-semana e provavelmente para os do meio da semana também.

Houve um surto de COVID-19 na seleção uruguaia, que deixou vários jogadores indisponíveis para os jogos da qualificação sul-americana para o Mundial 2022 que irá decorrer no Catar. Além de terem estado indisponíveis para a seleção, também estarão para os seus clubes.

Luis Suárez e Lucas Torreira (Atlético de Madrid), foram baixas para o clássico de ontem contra o FC Barcelona, Darwin Nuñez (SL Benfica) também foi mais uma das baixas para Jorge Jesus no jogo de sábado para a Taça de Portugal frente ao União de Paredes. No total 8 jogadores testaram positivo a COVID-19, na seleção uruguaia Luís Suarez e Lucas Torreira (Atlético de Madrid), Darwin Nuñez (SL Benfica), Diego Godin (Cagliari), Matias Vinã (Palmeiras), Rodrigo Munõz (Cerro Porteño), Alexis Rolín (Olimpia) e Diego Rossi (Los Angeles FC).

A seleção Uruguaia não foi a única afectada pela COVID-19, também houve casos positivos na seleção equatoriana, egípcia e inglesa. A seleção do Equador teve um total de seis casos confirmados: Enner Valencia (Fernebahce), Alan Afraco (Atlético-MG), Mario Pineida (Barcelona de Guayaquil), Diego Palacios e José Cifuentes (Los Angeles FC) e Moisés Corozo (LDU).  Na Inglaterra houve um caso confirmado, o lateral Matt Doherty (Tottenham Hotspur) e na selecção egípcia o único caso confirmado foi o de Mohamed Salah (Liverpool).

Como se não bastasse o Covid, o Liverpool foi uma das equipas mais afectadas com as lesões dos seus jogadores ao serviço da selecção. Todo o quarteto defensivo da equipa inglesa encontra-se lesionado, Joe Gomez e Andy Robertson foram os últimos a darem entrada no seu departamento médico. O inglês foi submetido a uma operação para reparar o tendão após ter sofrido uma lesão durante o treino com a sua selecção, enquanto que o escocês apanhou uma lesão no tendão durante o jogo da sua selecção contra a Sérvia. Além dos defesas, Jordan Henderson foi substituído ao intervalo, por precaução, depois de se ter queixado de um problema na perna durante o jogo contra a Bélgica.

Nesta data FIFA o vírus da COVID-19 deu mais dor de cabeça do que o “Vírus FIFA” (nome dado às lesões que os jogadores sofrem durante o período da data FIFA), no total foram 17 jogadores infectados a serviço das suas seleções.

Comentários do Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.