Pró Desporto

CAF premeia os melhores de 2016

O dia 05 de Janeiro de 2017 foi histórico para a Confederação Africana de Futebol (CAF) ao premiar o avançado argelino Riyad Mahrez como o Melhor Jogador Africano e o guarda-redes ugandês Denis Onyango como o Melhor Jogador Africano a Jogar em África, em Abuja.
Mahrez, de 25 anos, tornou-se no primeiro argelino e primeiro jogador da África do Norte a vencer o prémio de Melhor Jogador Africano desde 1992, altura em que a CAF começou a premiar. O playmaker argelino que teve um papel fundamental no histórico título do Leicester City na Premier League durante a época passada e também na qualificação da sua selecção para o Campeonato Africano das Nações 2017, foi eleito com 361 votos à seu favor.
O argelino destronou o vencedor do ano passado, Pierre-Emerick Aubameyang (Gabão) que angariou 313 votos e o senegalês Sadio Mané completou o pódio com 186 votos.
Denis Onyango também escreveu o seu nome na história do futebol africano ao se tornar no primeiro guarda-redes a vencer o prémio destinado aos jogadores que actuam em África. O ugandês de 31 anos brilhou entre os postes durante a fase de qualificação para o Campeonato Africano das Nações (CAN) e ao serviço do Mamelodi Sundowns, vencedor da Liga dos Campeões Africano.
Onyango teve 252 votos, mais 24 que o seu colega de equipa Khama Billiat (Zimbábue). O zambiano Rainford Kalaba foi o terceiro com 206 votos.
Os vencedores foram decididos pelos votos dos Directores Técnicos das Associações Nacionais afiliadas à CAF, membros da Comissão de Mídia da CAF, integrantes do Comité Técnico e de Desenvolvimento da CAF e de um painel de 20 especialistas. Curiosamente a Federação Angolana de Futebol não votou em nenhuma das categorias, apenas João Lusevikueno o fez mas como membro da Comissão de Mídia da CAF.
A avançada nigeriana Asisat Oshoala foi eleita a Melhor Jogadora do Ano, a frente da camaronesa Gabrielle Aboudi-Onguene e da ganense Elizabeth Addo. Oshoala voltou a festejar, desta vez com a selecção nacional nigeriana a ser eleita a Selecção Feminina do Ano depois de terem ganho pela oitava vez o CAN Feminino, em Dezembro de 2016.
A Nigéria levou mais dois prémios para casa, desta vez Keleshi Iheanacho e Alex Iwobi foram os premiados nas categorias Talento Mais Promissor e Jovem Jogador do Ano, respectivamente.
Este foi um ano de sonho para os Mamelodi Sundowns, a equipa sul-africana foi eleita o Clube do Ano, enquanto que o seu treinador, Pitso Mosimane, foi escolhido como o Treinador do Ano.
A histórica qualificação do Uganda para o Campeonato Africano das Nações não passou despercebida e foram merecidamente galardoados com o prémio de Selecção do Ano.
O gambiano Bakary Papa Gassama também fez história ontem ao ser nomeado pela terceira vez consecutiva com o Árbitro do Ano.
Depois da qualificação da Guine Bissau para o Campeonato Africano das Nações Gabão 2017, a primeira grande competição internacional da sua história, Manuel Lopes Nascimento, Presidente da Federação de Futebol da Guiné Bissau foi eleito o Dirigente de Futebol do Ano.
Laurent Pokou, a lenda da Costa do Marfim que faleceu no passado mês de Novembro foi postumamente nomeado como “Lenda Africana”, assim como a camaronesa Emilienne Mbango, uma das pioneiras do futebol feminino no continente.

1 Comentário

  1. como memorizar a tabuada

    12 Janeiro, 2017 at 3:10 am

    Como sou um enamorado por conhecimento não posso negar que gostaria de ter sabido essas técnicas anterior.

Deixe Um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *